• Márcio Guerra

RIVALIDADE VEM DO ESTADUAL

Por: Prof. Dr. Márcio Guerra


Boa parte da imprensa brasileira vem, nos últimos anos, tentando desqualificar os campeonatos estaduais. A meu ver, um grave erro. Atacar as disputas regionais é matar a galinha dos ovos de ouro, como diria o grande João Saldanha. A paixão do futebol se constitui muito em cima da rivalidade. E ela, definitivamente, se verifica nos duelos internos. Por mais que os críticos digam que é possível encontrar uma disputa com o mesmo peso de um FlaxFlu em um Flamengo x Grêmio, Botafogo e Palmeiras e assim por diante.


Alguém se lembra, de depois de ver o Fluminense vencer o Internacional, algum tricolor vibrar como vibra quando vence o Vasco? Você, botafoguense como eu, saiu pela rua comemorando uma vitória sobre o Cruzeiro? Um flamenguista tem o mesmo gostinho de um sacode no Vasco quando vence o Santos? Se você disse que sim, ouso dizer que você está mentindo. 


A rodada desse final de semana reúne os primeiros clássicos do Brasileiro 2020. Os vencedores vão comemorar de forma muito especial, diferente de outros resultados até agora conquistados. É incomparável ganhar do rival. Encontrar o torcedor do adversário e celebrar, gozar, tripudiar. E essa rivalidade é alimentada e realimentada, no confronto estadual, que se reproduz no Brasileiro. Portanto, parem com essa tolice de dizer que os estaduais precisam acabar.


Além da rivalidade, lembro que os clubes pequenos de cada Estado, só sobrevivem com a rebarba que pegam da "briga" entre os grandes. Matar os estaduais é acabar com os clubes de porte menor, mas que sempre acabam revelando jogadores para esses mesmos "gigantes". São eles que sempre aprontam uma surpresa e mudam um destino do título. O Brasileiro é bom demais. Mas ele ganha um gostinho especial quando o rival do Estadual é sua vítima.